sábado, 29 de junho de 2013

A História da Maquiagem - Parte 1

Oi meninas! Tudo bem com vocês? Antes de mais nada, quero pedir desculpas pelo tempo que passei sem postar nada, tive problemas com muita Internet. Quero dizer também estou muuito feliz pelo fato do numero de acessos esta aumentando a cada dia. Mas vamos ao que realmente interessa. Andei pesquisando e preparei um post bem interessante para vocês sobre a história da maquiagem, que vai ser dividido em 2 partes. Essa é a 1ª, vamos conferir??!

A maquiagem pode ser considerada uma ferramenta para exaltar a beleza, aumentar a auto-estima e disfarçar as imperfeições. Algumas pessoas se enganam ao pensar que utilização da maquiagem para se embelezar é algo recente.

Aproximadamente em 150 a.C. o físico Galeno criou o 1º creme facial do mundo, adicionando água à cera de abelha e óleo de oliva. Os egípcios também já usava maquiagem há muito tempo. Para eles, se maquiar era uma arte. Em sua arte, era comum o uso do kohl, pigmento preto que desempenhava a função de delineador. Esse delineador preto era usado por homens, mulheres e crianças. Mas, as mulheres se produziam mais, além do delineado nos olhos elas realçavam as pálpebras com um pó verde (à base de malaquita, um mineral), na boca passavam o carmim (pigmento extraído de um inseto) e nas faces um pó avermelhado.

No final do séc. XVIII, o Parlamento inglês criou uma lei que proibia todas as mulheres de seduzirem ou atraírem ao casamento qualquer homem por meio de perfumes, maquiagens, cosméticos, loções, dentaduras, perucas, espartilhos de ferro, armação para saias, sapatos altos ou anquilhas e as que não cumprissem a lei ficavam sujeitas à penalidade, sendo julgadas como bruxas e podendo ter seus casamentos anulados.

Durante a 2ª Guerra Mundial, a indústria focou seu olhar na produção de armamentos e a produção de cosméticos ficou esquecida, com fim da guerra a maquiagem volta com tudo trazendo consigo o estilo que ficou conhecido como fake (falso em inglês) – pele pálida, lábios realçados e olhar delineado.

Em Roma, as mulheres usavam máscaras de farinha, miolo de pão e leite durante a noite sobre o rosto para melhorar a pele. Dizia-se que Popeia (segunda esposa do imperador romano Nero) tinha a pele muito branca graças ao resultado de constantes banhos em leite de jumenta. Ela lançou moda e todas as romanas mais nobres eram dadas às máscaras noturnas, em que ingredientes como farinha de favas e miolo de pão se combinavam ao leite de jumenta diluído para formar papas de beleza. Esta aparência de pele clara foi imitada em misturas de giz, pasta de vinagre e claras de ovos durante muitas décadas.


Então gente, essa foi a primeira parte. Espero que vocês tenham gostado! Até o próximo post! :*


Fontes:

6 comentários:

  1. Ameiiiiii o blog :)

    já estou seguindoo *-*

    beiijiinhos :*

    www.lindasconfessas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bárbara! Fico feliz que tenha gostado, espero que volte sempre!

      Excluir
  2. É,esta história da mulher se maquiar, vem de longe! Beijo, Lylian http://maniadobem.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza Lylian! :)
      Espero que volte! Beijoos

      Excluir
  3. Adorei conhecer sobre a história da make, já tinha lido faz tempo e foi bom relembrar!

    Seguindo seu blog!

    Bjokassss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Obrigada por seguir o blog, espero que volte! Beijoos

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...